Sobre

Introdução

Os estudos regionais e urbanos, sobre as paisagens e os territórios que realizamos há vários anos nos quadros do Departamento de Geografia e do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Espírito Santo, bem como no Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo da UFES, malgrado a existência de projetos de pesquisas, de orientações voltadas para essas temáticas e de cooperações que se organizam, bem como de publicações relativas à temática, careciam de um quadro institucional estruturado e de um espaço que permitisse o enquadramento e a fecundação dessas pesquisas, dando, assim, maior amplitude aos estudos e pesquisas que organizamos. Dessa forma constituímos o LABURP

Objetivos gerais

Realizar pesquisas sobre as regiões e os fenômenos de regionalização, sobre polarizações e distritos industriais e a constituição de espaços e de territórios ligados aos equipamentos e infraestruturas industriais e portuárias (Geoeconomia) e sobre o fenômeno urbano em sua acepção mais larga associando aspectos ligados às populações e à demografia. O laboratório será também o lugar de pesquisadores com o foco em perspectivas das análises relativas às paisagens e aos territórios.

Objetivos específicos

Diante da importância que assumem no Brasil e em particular no Espírito Santo as implantações e polarizações exercidas pelas cidades, mas também pelas implantações industriais e portuárias, notadamente os pólos industriais siderúrgicos, papeleiro e, sobretudo, nos últimos anos, os ligados à cadeia do petróleo, os estudos regionais se tornam fundamentais para podermos compreender os efeitos espaciais e territoriais dessas implantações. Assim, o “retorno da região”, em particular da região urbana, como Método é de importância ímpar, pelo fato de buscar associar tanto os aspectos das atividades econômicas e da organização social quanto os aspectos espaciais e territoriais em sua forma e em sua estrutura.

Busca-se com o laboratório desenvolver pesquisas para compreender a estrutura regional e o fenômeno urbano em sua totalidade definidos por fluxos e processos que os compõem e recompõem de maneira aberta e generativa. Portanto pensamos a região e o urbano como uma estrutura aberta e em constante recomposição em função das infraestruturas, dos equipamentos, da circulação, das mobilidades e dos aspectos sociais e econômicos que permitem uma configuração à geometria variável dos espaços e territórios regionais.

As paisagens compõem o quadro estrutural das regiões e são abordadas em seus aspectos tanto sociais quanto econômicos e físicos.

Uma resposta a Sobre

  1. Fico lisonjeada de ter um blog com um conteúdo desses com o meu quadro como pano de fundo.

Deixe uma resposta