Com processo inovador para reaproveitamento de óleo, Ufes conquista 10ª patente

Banho de ultrassom separa os resíduos do óleo básico (versão limpa à direita). Foto: Maria de Fátima dos Santos/Ufes
Compartilhe:

– Por Sueli de Freitas –

A Ufes conquistou o deferimento de mais uma patente nesta terça-feira, 16, somando dez registradas no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi) até o momento. Desta vez, o invento refere-se à utilização de ondas ultrassônicas num processo de recuperação de óleo básico a partir de lubrificantes já usados, com menor impacto no meio ambiente.

O sistema prevê a aplicação indireta de energia ultrassônica, ou seja, um banho de ultrassom, para misturar o óleo lubrificante já usado e os solventes orgânicos de baixo impacto ambiental dentro de um reator de vidro, na temperatura ambiente. Minutos depois, há a separação dos resíduos e do óleo básico. Esse óleo recebe aditivos para ser novamente colocado no mercado. Já os resíduos podem ser usados na indústria de cimentação. Na foto, uma amostra do óleo usado (à esquerda) e uma amostra do óleo recuperado (à direita).

“A novidade é a versatilidade do ultrassom para aplicação em diferentes tipos de óleo usado, seja industrial ou automotivo”, afirmou a professora de Química Maria de Fátima dos Santos, que é uma das inventoras e leciona no Departamento de Ciências Naturais do Centro Universitário Norte do Espírito Santo (Ceunes), localizado em São Mateus.

Economia de energia

Ela conta que o método patenteado traz economia de energia, além de não usar produtos químicos. “Nosso método é extremamente versátil e o consumo energético é pelo menos dez vezes menor do que os processos atualmente praticados na indústria. Também não estamos trabalhando com nenhum produto químico, apenas com solventes orgânicos que podemos classificar como verdes, para o meio ambiente trazem menor contaminação”, explicou a professora.

A pesquisa que resultou nessa patente teve início no Programa de Pós-Graduação em Energia (PGEN), no ano de 2011. Contou com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Espírito Santo (Fapes) e apoio do Laboratório de Pesquisa e Desenvolvimento de Metodologias para Análise de Petróleos (LabPetro) da Ufes e da Universidade Federal de Santa Maria (RS).

Além da professora Maria de Fátima dos Santos, assinam o invento: Maristela Vicente (professora do Departamento de Ciências Naturais/Ceunes); Felipe Souza (mestrando do PGEN); Sandra Mara Rocha (professora do Departamento de Engenharia Química/Ceunes); Cristina Maria Sad (servidora técnico-administrativa); Cezar Augusto Bizz (professor da Universidade Federal de Santa Maria/RS); Wellington Luís de Oliveira (estudante do curso de Engenharia Química/Ceunes); e Luar Santana (servidora técnico-administrativa).

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*